DADOS HISTÓRICOS DA IPI DE MAUÁ  

(ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO  28/10/2019)

    A história da IPI de Mauá começou em 1946 com a abertura de um ponto de pregação pela 1a IPI de Santo André na casa de um dos irmãos Arcílio e Sebastião de Souza. Outros irmãos: Sinésio de Souza, José Urbano dos Santos mais o casal Luiz Honório e Iracilda Honório e filhos, somaram-se aos já membros da 1a IPI de Santo André Arcílio e Sebastião. Com a chegada dos novos irmãos a 1a IPI de Santo André decidiu por transformar o então ponto de pregação em Congregação. O ato de organização da Congregação deu-se em 10 de fevereiro de 1950, sob a direção do pastor  titular da 1a IPI de Santo André Jaime L. Corrêa, além de alguns Presbíteros, visitantes e os irmãos já citados.

    Com alguns membros recebidos na oportunidade, foi escolhida a primeira diretoria da Congregação, que foi assim constituída:

Diretor: João Pedroso;

Tesoureiro: Arcílio de Souza;

Escola Dominical: João Pedroso; e

Trabalho com as crianças: Iracilda Honório.

    A congregação funcionou durante 1 ano na casa dos irmãos Sinésio de Souza e dona Clara em Vila Augusta, sendo posteriormente transferida para um salão construído junto a casa do irmãos Luiz Honório e Iracilda Honório, em Vila Vitória.

    Em 1956, já com salão próprio construído, mudou-se para o novo endereço à Av. da Saudade no 389 na mesma vila. A congregação foi organizada em Igreja em janeiro de 1962 quando pastoreava  a IPI de Santo André o Rev. Jairo Jacob. No dia 21 de janeiro de 1962 presidida pelo Rev. Elí do Amaral Camargo a comissão composta ainda pelo Rev. Jairo Jacob e Presbítero João de Moura Garcia (secretário) designada pelo então Presbitério Leste, se reuniu para a cerimônia de organização da Igreja.

DADOS ESTATÍSTICOS DA ORGANIZAÇÃO

    Responderam chamada 37 membros maiores constatados na verificação de quorum, que somado a outros recebidos durante a organização constituiu um rol de 45 membros maiores e 39 membros menores. Realizava-se a primeira assembléia e foram eleitos como:

Primeiros Presbíteros: Sebastião de Souza, Blackford Matos de Aguiar e Jesus Francelli.

Diáconos: Iracilda Honório de Lima, Orlando Mariano e Carlos Ferle.

    Ordenados e investidos na função, encerrou-se a cerimônia de organização com a Benção Apostólica.

    O vice presidente Presb. Blackford da posse ao Rev. Jairo Jacob, sendo este o primeiro pastor da Igreja.

    Como último diretor da então congregação esteve presente no ato de organização o Presbítero Azir Garcia de Almeida.

 

PROPAGAÇÃO DO EVANGELHO

    Sempre pensando na propagação do Evangelho, no dia 4 de sembro de 1964, tinha início um novo ponto de pregação na Vila São José, transformado em Congregação no dia 19 de setembro de 1965 com 14 membros maiores e 41 alunos na Escola Dominical.

    No dia 2 de fevereiro de 1984 a Congregação foi organizada em Igreja ( 2a IPI de Mauá) com 52 membros ativos  62 alunos na Escola Dominical e todas as sociedades internas em pleno funcionamento. Um outro ponto de pregação posteriormente congregação foi organizado (1970) em vila das Monções Santo André, transferido para a 1a IPI de Santo André no ano de 1975.

IPI DE MAUÁ APÓS 1962

    No dia primeiro de março foi recebido por profissão de fé o irmão Copérnico Leite de Aguiar e por batismo no dia 27 de maio a irmã Eidelene de Souza Alves, sendo estes  os primeiros atos pastorais realizados na Igreja.

    A assembléia reuniu-se no dia 24 de Junho para tratar da construção do templo. A primeira comissão para tal construção foi nomeada e foi composta pelos irmãos: Orlando Mariano, Silas Ribeiro e Jesus Honório.

    Em janeiro de 1963, no dia 06 foram aprovados os estatutos da Igreja pela Assembléia e publicado no Diário Oficial em 24 de dezembro de 1964.

    Em 1967 os estatutos foram adaptados ao modelo oficial das Normas Constitucionais e Legais da IPI do Brasil. O endereço atual não oferecia condições de construção (terreno grilado) e em 1968 decidiu-se pela compra de um novo terreno, sendo optado por um lote constituído de 500mna mesma Av. no 512. No dia 03 de agosto em culto solene é lançada a pedra fundamental para a construção de um novo templo.

    Dados os primeiros passos para a construção, o conselho começou a encontrar dificuldades junto à Prefeitura para aprovação da planta, pois o terreno não oferecia condições  para a construção de um Templo em função de suas dimensões (500m2). Resolveu-se pela compra do terreno ao lado, ficando a área com um total de 1000m2.  

    Com a planta devidamente regularizada, deu-se os primeiros passos para a construção da primeira parte constante de um salão de cultos e  casa de zeladoria.

    No dia 18 de maio de 1975 foi consagrada esta primeira parte, sendo a comissão organizadora da cerimônia composta dos Presbíteros: Oscar Ferle, Arnold Hermann Ferle, Amadeu Luiz Fernandes e um representante de cada sociedade. Foi o mensageiro na oportunidade o Rev. Elí do Amaral Camargo.

    No dia 08 de agosto de 1976 foi consagrado o salão de cultos construído sobre a casa da zeladoria funcionando até a construção definitiva do templo sonhado por toda  comunidade.

    A idéia de construção de um novo templo ganhou força e nos primeiros anos do novo milênio, em 2004, definitivamente partiu-se para a concretização do sonho. Para tanto foi necessário interromper os projetos sociais nas áreas de creche (A Sementinha) e Núcleo de Educação Infantil (NEI),  parceria de longos anos com a Prefeitura Municipal.

 

NOVO TEMPLO

    A partir da decisão do conselho nesse sentido,  "esforço concentrado" foi a palavra de ordem entre o conselho e toda a membresia para a concretização do sonho.

    Em janeiro de 2006 com o projeto devidamente aprovado e documentação regularizada, aquilo que parecia um sonho começou se tornar realidade com a demolição do salão e cozinha existentes. Após três anos de intensos trabalhos, com muita luta e dedicação, o dia 31 de janeiro de 2009 foi escolhido como o dia da CONSAGRAÇÃO DO NOVO TEMPLO, para a Glória de Deus.

    Dentro de uma concepção de construção que observa as características de um verdadeiro templo, construído obedecendo as mais estritas normas de segurança, alem de atentar para detalhes de sonorização, luminosidade e ventilação, o espaço com uma nave e uma galeria comporta aproximadamente 350 pessoas confortavelmente acomodadas.  

PROJETOS SOCIAIS

    Uma das preocupações da IPI de Mauá sempre foi o atendimento à sociedade. Alem de cursos como mobral, admissão ao ginásio, em 1981 numa parceria com a Prefeitura Municipal foram cedidas as salas do edifício para o funcionamento de cursos pré-primário e jardim da infância, ampliando-se o projeto em 1987 com a inauguração da creche “A Sementinha” com funcionamento em edifício construído no antigo terreno agora já regularizado. Essa parceria foi interrompida em 2004 com o projeto para construção do novo templo.

 

PASTORES

Durante esse período passaram pela IPI de Mauá os seguintes pastores:

Jairo Jacob,

José Ferreira Filho,

Jairo Jacob (pela 2ª vez)

Sherlock Nogueira,

Silas Ferreira da Silva,

Moisés Campos de Aguiar Neto,

Antônio Gouveia de Mendonça,

Anibal José Pereira,

Pedro Sanches Vierma,

Leonildo Silveira Campos,

Eduardo Galasso Faria,

Amós de Oliveira Costa,

Milton Cocarelli,

Sérgio Paulo de Almeida,

Enos Gomes da Silva,

Amós de Oliveira Costa (pela 2ª vez),

Francisco Ernani Alves,

Luiz Carlos Laurindo,

Enos Gomes da Silva (pela 2ª vez), e

Jaime Pereira do Lago Júnior

Paulo Sérgio Cancela: de 2011 à 2013

Leontino Farias dos Santos: Em 2014

Nemir de Moraes: 2015, 2016 e 2017

Jayme Pereira do Lago Júnior: 2018 e 2019

 

Destaque para os pastores:

Pedro Sanches o que permaneceu por mais tempo e construtor do Edificio onde está funcionando a Igreja;

Leonildo na implantação da pré escola;

Eduardo parceria com a Prefeitura sobre a creche;

Jairo Jacob, Amós e Enos pastores por duas vezes e Jaime finalizador da construção e consagração do templo.

    Pelas dificuldades e vitórias, pelas tristezas e alegrias, derrotas e conquistas, por  tudo que se passou podemos afirmar que:

“Até aqui nos ajudou o Senhor”.       

Texto escrito pelo Presbítero Moisés José de Lima